CARREGANDO...

Notícias

FEIRA NACIONAL DE ARTESANATO EM NÚMEROS

09/11/2017 às 16:50

De 5 a 10 de dezembro, no Expominas em Belo Horizonte, teremos mais uma Feira Nacional de Artesanato.

Com 1.200 stands e 5000 artesãos de todos os estados brasileiros e Distrito Federal, neste ano terá como tema os RESIDUOS.

Evolução do evento nos últimos anos:

1989 – 60 Stands – 200 expositores
1990 – Não aconteceu por causa do Plano Color
1991 a 2003 – Minas Centro – 250 stands – 500 expositores
2004 – Transferiu para o Expominas ainda em reforma
2005 até 2014 – 100% da área do Expominas
2014 a 2017 – 100% da área do Expominas mais a área externa “Estrada Real”

É o maior locador de espaço do Expominas – o único a realizar anualmente, ocupando 100% da área, mais as áreas externas.


Perfil do evento nos últimos cinco anos
1.200 stands
5.000 artesãos
130.000 a 170.000 visitantes
Todos os estados brasileiros
Artesãos de Minas: 77,6%
     Região metropolitana: 50%
     Outros municípios: 50%
    Total de municípios mineiros representados: média 213 por evento
Artesãos de outros estados: 22,4%

Vendas imediatas de R$ 50 milhões a R$ 70 milhões de reais

Empregos gerados – 21.251 empregos:
Artesãos direto e indireto - 20.000
Montadores/cenógrafos - 270
Eletricistas/segurança/limpeza - 310
Vendedores - 300
Secretaria Previa e executiva - 81
Apresentações Culturais - 120
Tomadores de conta e carregadores - 50
Empresa de pesquisa/consultores - 80
Monitores infantis/oficineiros - 40

Outros empregos não computados:
Funcionários de gráficas, taxistas, hotéis, restaurantes, mídia, shoppings, passeios turísticos, museus.

Impostos gerados pelo evento (imposto direto e de fornecedores): R$ 337.625,13 (base 2016)

Dados curiosos sobre o evento e o artesão presente:

1 – Para vender os R$ 62 milhões no ano passado, o artesão adquiriu da indústria R$ 26 milhões em insumos (pesquisa da Vox Populi, que 47% do valor de venda é insumo dos quais 90% é adquirido na indústria)
2 – Um artesão gera em média 4,7 ocupações (pesquisa da Vox Populi)
3 – A matéria prima têxtil, material para acabamento, ferramentas e metais são os quatro principais gastos do artesão.
4 – 73% da matéria prima é adquirida no próprio estado, sendo 61% no varejo e 38% no atacado
5 – Gasta em média R$ 800,00 na aquisição de matéria prima/mês e fatura R$ 2.000,00/mês
6 – 77% são do sexo feminino e 23% do sexo masculino
7 – 62% tem mais do que 41 anos
8 – 41% tem ensino superior e 41% tem ensino médio (o que demonstra que na crise é uma opção de emprego imediato)

Custo do evento:

O evento tem um custo médio nos últimos anos de quase R$ 5 milhões de reais, sendo os maiores itens de despesa:
- Expominas – 20%
- Cenografia e montagem – 30%
- Mídia – 20%
- Prestadores de serviço (segurança, limpeza, pesquisa, monitores, consultores) – 10%
- Impostos diretos com a venda de stand – 8%
- Outras despesas (secretarias previa e executiva, paisagismo, arquiteto, apresentações, produtor cultural, etc) 12%
Receita:
- Venda de stand – R$ 1,9 milhões (10% da área é cedida a projetos sociais, índios, primeiro evento)
- Bilheteria – R$ 200 mil – somente 20.000 pessoas pagam ingresso, o restante entra com vasta distribuição de convites físicos, via internet, publicados em jornal.
- apoios E patrocínios é necessário captar cerca de R$ 2,9 milhões.

Este ano, por estarmos utilizando somente material reciclado, conseguimos uma redução de R$ 1 milhão, estando o custo do evento previsto para R$ 4 milhões de reais.

Temas do evento para 2017 – RESIDUOS

Materiais que serão trabalhados:
Toda a cenografia será com reutilização de material das montadoras e principalmente lixo urbano: Garrafas Pet, Tubos de tecidos das confecções, maços de cigarro, pallets, pneus, tetra pack, tecidos, latas de cerveja e refrigerantes, garrafas de vidro, compostagem, tambor de metal, retalhos diversos.


Outras ações:
• Espaço cenográfico será produzidos usando somente materiais reciclados
• Concurso de produtos utilizando material reciclado
• Oficinas serão somente sobre reciclados
• Espaço Pratique o Desapego, incentivando que a população limpe de seus armários aquilo que não usa mais. Estes produtos serão vendidos no evento e o resultado financeiro transformado em cestas básicas e brinquedos para distribuição em hospitais infantis.
• Todo material utilizado no evento na cenografia, deverá ter uma destinação a produção pós evento, não podendo ser descartado no lixo.
• Todo o paisagismo será feito com árvores frutíferas, legumes e verduras que serão doados pós evento.
• Não haverá a produção de cartazes – serão somente eletrônicos
• Não haverá a produção de Guia do evento, serão substituídos por painéis distribuídos no evento.
• Não haverá a produção de Jogos Americanos, que serão substituídos por porta copos reutilizáveis.
• Transferir o máximo possível de convite em papel para convite eletrônico.

Maiores informações:
www.feiranacionaldeartesanato.com.br
ccape@centrocape.org.br
031-32828313